quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIA COMO UMA FERRAMENTA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE QUÍMICA

UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIA COMO UMA FERRAMENTA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE QUÍMICA




LINS, C. M. J1; FLORENCIO, E. S; SILVA, M. F; SOARES, J. M. M; Sá. R. A2
1Universidade Federal de Pernambuco; Centro Acadêmico do Agreste; Licenciatura em Química.
2Universidade Federal de Pernambuco; Centro Acadêmico do Agreste.



Resumo


Este artigo tem como principio expor de forma clara e abrangente as praticas e técnicas de segurança num laboratório, propõem-se uma nova abordagem sobre a compreensão de conceitos químicos; tem-se como objetivo o despertar para a ciência, através da realização de experimentos relacionando os conteúdos abordados em sala de aulas com experimentos simples que liguem as idéias sobre a Química junto ao cotidiano dos discentes. Pretende-se, ainda, revelar aos alunos qual a importância das normas de segurança, se devidamente aplicadas. E de modo geral melhorar a compreensão do aluno quando o mesmo estiver participando de aulas experimentais em laboratório.


PALAVRA-CHAVE: Laboratório. Experimentos simples. Estequiometria no cotidiano.


    Atualmente o ensino da química está sendo limitado, na maioria das vezes, por cálculos e teoria, com isso o desenvolvimento das aulas de Química nas escolas, vem sendo defasada por falta da experiência do aluno em um ambiente diversificado; a vivência do aluno, nesse ambiente, contribui para a formação de conceitos, futuras escolhas, na vida profissional e social (SILVA, 2003).
    O conceito levantado acima faz com que o professor ministre suas aulas com o propósito de favorecer uma aproximação do aluno, não só com a teoria, mas também com a experimentação. Assim, alimentando a interdisciplinaridade e a contextualização desenvolvendo o aprendizado do aluno (SILVA, 2003).
    Os experimentos contribuem para o desenvolvimento do aluno, pois auxiliam na compreensão do objeto de pesquisa. Quando colocadas em prática, as atividades experimentais objetivam o entendimento dos conceitos químicos que estão sendo abordados em sala de aula pelo professor. Para a realização dos experimentos é indispensável o cuidado com os materiais a serem utilizados durante a experimentação. Isto se deve ao fato de muitos serem prejudiciais a saúde humana. Por isso, é necessário que os alunos conheçam o local onde fará os experimentos, como também como manuseá-los corretamente.
    A utilização de laboratórios escolares exige cuidados especiais por diversos aspectos que, entre os quais, destaca-se a: inadequação do ambiente, grande número de alunos em sala, inexperiência e agitação típicas dos adolescentes (Machado & Mol, 2008).
    De acordo com Machado (2005), é de responsabilidade da direção da escola dotar o laboratório de infraestrutura básica; exigir que as normas de segurança sejam seguidas pelos usuários do laboratório; planejar a compra de produtos químicos para o período letivo, evitando excesso e prevendo estocagem segura; elaborar e executar, em conjunto com os professores, um plano de disposição final dos resíduos provenientes de experiências laboratoriais.
    Objetivando minimizar os riscos inerentes às atividades, os professores devem: adotar todos os procedimentos de segurança, educando também por meio do exemplo; debater previamente com os alunos normas de segurança a serem adotadas nas atividades práticas; planejar atividades experimentais, priorizando experimentos simples e seguros; manter-se atento à conduta de seus alunos; registrar, para posterior avaliação, qualquer tipo de incidente ou acidente ocorrido no laboratório (Machado, 2005).
    Como participantes do processo de ensino-aprendizagem os alunos são responsáveis pela segurança individual e coletiva, obedecendo as seguintes orientações: seguir as orientações estabelecidas pela direção e pelos professores; cobrar da direção e professores coerência com as normas vigentes; informar imediatamente ao professor a ocorrência de qualquer evento não previsto na atividade (Machado, 2005).     Através da experimentação e contextualização, o objetivo deste trabalho é estimular o docente a usar o laboratório como uma ferramenta que lhe dará suporte no ensino da ciência química, fazendo com que os alunos de ensino médio tenham um maior interesse por esta ciência. Objetiva-se, também, com este trabalho procurar identificar aspectos que motivem os alunos a aprender química. O experimento, ou seja, aula prática é mais eficaz no ensino e na aprendizagem de química, dessa forma os docentes seriam motivados a dinamizarem suas aulas e os discentes motivados a aprender.


Metodologia
    Apresentaram-se alguns conceitos básicos sobre a utilização do laboratório de ciência e os cuidados que se deve ter para evitar acidentes, será aplicado um questionário que abordará este tema. Posteriormente, será mostrado um experimento que aborda a estequiometria no cotidiano relacionando, também uma receita de pudim comparando-a com uma reação química, elaborado por Costa (2008).
    O experimento adaptado, a seguir, mostra de forma simples, a ideia a qual se deseja apresentar:
Receita Básica de pudim de Leite Condensado
•    1 Lata de leite condensado (LC)
•    1 Lata de leite (LL)
•    3 Ovos (Ov)


    As unidades que se utiliza para os ingredientes são: a "lata" de leite condensado e de leite, que possui uma massa (396g e 300g respectivamente), a massa de um ovo (ovos pesam perto de 65g). Quando se faz uma receita, ao lerem- se os ingredientes necessários para a mesma, precisa-se ter o cuidado de manter as proporções.
    Essas quantidades que aparecem na representação são equivalentes as massas dos ingredientes utilizados na receita. Na química os cálculos são bastante semelhantes. Isto é o que os químicos fazem quando estudam Estequiometria, só que aqui, até o momento, não foram utilizadas expressões características da linguagem química.
1LC    +   1LL    +   3OV   =    1Pudim
395g        300g         195g          890g

    Na química ao invés de usarmos a palavra receita, usamos experimento. A palavra quantidade é semelhante à palavra mol.
1 C   +   2 H2   +   1/2 O2    =   1 CH3OH
LC         LL            Ov                Pudim

    Este trabalho propõe uma nova abordagem para a compreensão dos conceitos químicos, objetivando despertar nos discentes de ensino médio: habilidades nos manuseios de vidrarias e equipamentos; interesse pelo conteúdo abordado em sala de aula; criatividade; segurança; poder de síntese; organização; responsabilidade; desenvoltura; trabalho em grupo; interdisciplinaridade e experimentação favorecendo, desta forma, o ensino-aprendizagem da ciência química. Através da realização de experimentos relacionando os conteúdos abordados em sala de aulas, será utilizado o laboratório de ensino de química como ferramenta para estimular esta prática no cotidiano escolar dos docentes.
    Será aplicado um questionário sobre um determinado conteúdo abordado pelo docente, por exemplo, estequiometria. Também, serão abordados questionamentos sobre o interesse, dedicação, responsabilidade, trabalho em grupo e organização por parte dos docentes. Em seguida, os alunos serão levados para conhecer o laboratório de química e realizar um experimento sobre estequiometria. Aonde serão abordados temas sobre seu cotidiano.


Resultados e Discussão


Questionário
Q1. Qual a importância da segurança em um laboratório?
Q2. O que é Estequiometria?
Q3. O que o experimento tem haver com a química?
Q4. A proporção entre os ingredientes na receita é importante?
Q5. Quantos litros de leite são usados por mês, para fazer pudins, por uma padaria que vende dois pudins por dia?
Q6. Existem semelhanças entre a receita do experimento e uma reação Química? Cite uma.
Q7. Que outro fator do cotidiano serviria como experimento estequiométrico? Justifique.
    Através da análise do questionário aplicado entre os docentes do segundo ano de ensino médio, espera-se obter as seguintes respostas: a pergunta Q1, onde se aborda a importância da segurança no laboratório, espera-se que os docentes compreendam que a segurança no laboratório é crucial para evitar o risco de acidentes. Sabe-se que, a variedade de riscos nos laboratórios é muito ampla, que se deve a substâncias tóxicas, determinados equipamentos que podem oferecer riscos, etc.; a segurança deve ser sempre a primeira instrução dada aos discentes, antes de aulas práticas, pois instruções adequadas, uma supervisão do orientador e o uso correto de equipamentos, podem evitar futuros acidentes.
    Na pergunta Q2, onde se aborda o que é a Estequiometria, espera-se que os docentes possam responder de forma simples e clara este conceito, para que os alunos consigam entender com mais facilidade.
    A Q3, que aborda o que o experimento tem haver com a química, pretende-se que os docentes percebam que por diversas vezes no dia-a-dia utiliza-se a estequiometria, pois se manipula quantidades, por exemplo, ao fazer um pudim, os professores poderiam utilizar essa forma mais fácil e clara de repassar conteúdos, assim, os mesmos não seriam ‘decorados’ para provas, mas aprendidos e assimilados para o cotidiano, posteriormente aborda-se a Q4, que traz consigo, a pergunta se a proporção dos ingredientes seria importante, como tratado na questão anterior, utiliza-se medidas em tudo, por isso, a receita é seguida para que se obtenha um produto de qualidade, e se a vontade do cozinheiro é ‘dobrar’ a receita, não dobrará apenas a medida de ovos, mas todos os ingredientes, sabendo disso pretende-se que seja observado pelos docentes que existem outras formas de abordar conceitos químicos, objetivando um melhor aprendizado.
    A Q5 é um problema matemático que pergunta quantos litros de leite são usados por mês, para fazer pudins, por uma padaria que vende dois pudins por dia, aguarda-se o entender do educador sobre as proporções e medidas adequadas para a execução de qualquer ação diária, ligada a Estequiometria.
    Na pergunta Q6, que trata sobre as semelhanças entre a receita do experimento e uma reação Química, tem a intenção de fazer o professor perceber que o cotidiano tem mais aspectos em comum com a química do que se imagina, pois a receita é a manipulação de ingredientes, a equação química é a manipulação da matéria.
    A Q7, que faz a indagação sobre outro fator do cotidiano que serviria como experimento estequiométrico, depois das respostas para as questões anteriores, essa se torna a mais fácil de responder, por exemplo, bolos e pães. Porem, não adianta que apenas os educadores saibam disso, essa informação teria que ser passada para os alunos, por isso, deseja-se que os docentes percebam que o nosso cotidiano é química pura e que os conteúdos podem ser exibidos de forma dinâmica.
   
Conclusões
        Com os conceitos apresentados espera-se que os professores saibam aproveitar dessas metodologias para incrementar suas aulas, tornando-as mais dinâmicas e fazendo com que os alunos tenham uma visão da química como a ciência maravilhosa que ela é, não só como ele ver num laboratório, mas também no seu dia-a-dia. Abandonando a ideia da química como uma entediante disciplina que atormenta sua cabeça em sala de aula.
    Com isso, temos a expectativa de que os docentes e discentes compreendam que existem aspectos distintos que podem influenciar na abordagem de conteúdos químicos. Ao tratar de um conteúdo complexo, como a estequiometria, de forma simples, utilizando o cotidiano, supõe-se que a simplicidade, por se tratar de algo comum que participa de um dia-a-dia, torne o sentido do aprendizado algo mais espontâneo, natural.
    Pretende-se, também e principalmente, que os alunos percebam que não é obrigatório o uso do laboratório, dependendo da experiência a ser executada, pois o necessário é adotar as devidas normas de segurança, independente do uso do laboratório. O objetivo é mostrar aos alunos que a ciência é mais do que a teoria, é um ‘mundo’ fascinante.


Referencias Bibliográficas
 SILVA, R. M. G. Contextualizando aprendizagens em química na formação escolar. Química Nova na Escola, N° 18, NOVEMBRO 2003. - (SILVA, 2003).
MACHADO, P. F. L.; MÓL, G. S. Experimentando Química com Segurança. Química Nova na Escola, N° 27, FEVEREIRO 2008. - (Machado & Mol, 2008).
MACHADO, P.F.L. Segurança em laboratóriosde ciências. Em: MACHADO, P. F. L. e MÓL, G. S.Experimentando Química com Segurança. Rio de Janeiro: Ed.UFF, 2005. p. 207 a 217. - (Machado, 2005).
COSTA, E. T. H. Produção Didático-pedadógica – Unidade Didática. Uma proposta diferenciada de ensino para o estudo de estequiometria. Maringá 2008. - (Costa, 2008)
Abaixo segue a foto da apresentação do artigo em banner:
No canto esquerdo Makissuel e Elinaide e a direita Cynthia, Fátima e Profº Roberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...